Biografia

Melício

Escultor

 

Nasceu em 1957, Lobito, Angola, reside em Lisboa desde os 9 anos de idade. Viveu e teve atelier no Bairro do Pigalle em Paris, tendo passado longos períodos de criação, estudo e convívio em Milão, Hanôver, Moscovo e Madrid. Fundador com outros prestigiados homens da cultura, das Escolas Artísticas “Pontos de Cultura” no Brasil, a convite do então Ministro da Cultura, Músico Gilberto Gil e do Professor Alípio de Freitas, existindo cerca de 3.000. Trabalhou com o prestigiado escultor Cardenas restaurador do Brooklyn Museum em New York. Realizou mais de duas centenas de exposições nacionais e internacionais, tendo aí sido atribuído vários prémios. Realizador de cinema de animação, no canal televisivo SIC. Curador de exposição lusófonas de artes plásticas na UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa).

 A sua obra plástica reparte-se por várias modalidades. Quando jovem, no tempo da ditadura governamental em Portugal, dedicou-se á pintura realista com murais pintados na via pública, retratando a luta de classes e o colonialismo.

Do barro, gesso, desenho e da pintura transita para as artes do fogo, sem descurar a insistência em que as primeiras disciplinas o envolvem. Encara porém a cerâmica, designadamente a azulejaria moderna, como uma grande corrente artística. Maquetista e design de objectos, grafismo, relojoaria, vestuário e automóveis onde colaborou com o projectista e técnico superior da Direcção  Geral de Viação o Eng. António José Gonçalves no projecto do Citroen AX GT / AX Sport Cabrio BB e no Todo o Terreno Nissan Patrol Cabrio. Em Itália, trabalhou no atelier da ICS onde desenhou embalagens e outros objectos para a área da informática, foi premiado por duas vezes. Restaurador de estuques decorativos, frescos, estatuária de arte sacra e do vitrinismo, na arquitectura de palácios e Igrejas. O HÍPER REALISMO (tamanho real da figura humana) é a sua criação praticamente em exclusivo, destacando-se as esculturas em fundição a bronze e resina, é um dos poucos artistas a nível mundial que faz parte desta corrente artística. No desenho em tela, trabalha o pastel seco, carvão e grafite. Esculpiu variadas classes de rigidez de pedras, nos anos setenta e oitenta no seu atelier na Vila de Sintra, onde produziu dezenas de peças de escultura e iluminarias de interiores, fazendo uso de maquinaria industrial e manual. Em 1977 colaborou na ex Direcção Geral de Divulgação, em cultura. Decorou os stands de venda do todo o terreno Land Rover, em Lisboa. Ilustrador do jornal “Diário de Noticias”.

Fez parte da equipa técnica do projecto paisagístico do "Corredor Verde do Parque Monsanto" em Lisboa, coordenada pelo Comendador Professor Doutor Arquitecto Gonçalo Ribeiro

Teles, assessor no Ministério da Cultura e da Coordenação Científica quando o Ministro era o Professor Doutor Francisco Lucas Pires e assessor quando o Ministro da Cultura era o Comendador Dr. Coimbra Martins, assessor no Município de Lisboa, onde trabalhou na Divisão de Bibliotecas Municipais como coordenador na área do ensino das artes. Coordenador cultural e guia na Junta de Freguesia de S. João de Deus em Lisboa, de 1994 a 2013. Tem assumido ao longo dos anos, funções de docência no domínio da escultura, cerâmica e desenho desde o ensino primário ao universitário, onde muitos dos seus alunos são hoje artistas. Convidado, pela prestigiada e bicentenária instituição pedagógica Casa Pia de Lisboa, para professor na escola Maria Pia, cuja vocação de ensino é as Artes. Fundou em 1994 vários ateliês/escola de ensino artístico para crianças e adultos, em vários locais da cidade com o apoio do Município de Lisboa, nos projectos contra a toxicodependência e pela cultura nas freguesias, tendo como base a filosofia de ensino livre do pedagogo Inglês A. S. NEILL, fundador da Escola SUMMERHILL, lendária como bastião da liberdade no ensino e respeito á criança e adultos. Orientador de visitas de estudo culturais, tendo já sido realizadas cerca de três centenas.

Com muitas obras dispersas pelo espaço público de vilas e cidades em Portugal, como: Póvoa do Lanhoso, Celorico da Beira, Guarda, Covilhã, Castelo Branco, Monchique, Cascais, Loures, Amadora, Portimão, Vila Franca de Xira, Óbidos, Moita, Alcochete, Vidigueira, Sintra, etc. e na cidade de Lisboa, uma tela com 3,15m2 no café "A Brasileira" do Chiado, as esculturas de bronze hiper-realistas “A Família” no Jardim Fernando Pessa, da Assembleia Municipal, as  "Brincadeiras de Crianças"  no Parque Monsanto, o monumento de cerâmica, suspenso em arcos metálicos, dedicado à Vida e Obra da Rainha Santa Isabel e Rei D. Dinis, com texto histórico de autoria da poetisa Piedade Almeida, frente ao edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos, Escola Nuno Gonçalves mural sobre a "matemática moderna" (1968), Banco Comercial Português BCP, Polícia Judiciária, Policia de Segurança Pública, Embaixada de Angola, Casa do Banho, Alliance Française, Museu Antoniano. Obras na Rússia, Espanha, Itália, Roménia, Alemanha, França, Líbia, Palestina, Brasil, México, Cuba, USA e Iraque. Em 2004 foi seleccionado pela administração do Metropolitano de Lisboa, para a decoração de uma das suas estações. Os seus trabalhos, fazem parte de coleccionadores profissionais em muitos países do mundo. Citado em dezenas de livros de arte e o seu trabalho tem sido matéria para aulas de história de arte, teses de Mestrados e Doutoramentos, para muitos estudantes de variados países, incluindo Portugal.

 

Publicação

Contacto

escultormelicio@sapo.pt

escultormelicio@hotmail.com

Copyright ©  Melício 2016. All Rights Reserved